Blog

19/12/2017

Impressão 3D: útil, inútil ou depende?

No fim das contas, a impressão 3D, tão falada quando o tema são protótipos e validação de conceitos, é útil – ou nem tanto? Antes de concluir, vamos entender melhor a impressão 3D, dividindo-a em dois tipos de utilização: industrial e de consumo.

Consumo abrange os mais diversos fins: DIY, cosplayers, entusiastas da tecnologia etc., pessoas com impressoras próprias para usar no dia a dia, para entretenimento, como hobby ou apenas por modismo.

Industrial é, claro, o uso por parte de indústrias de vários setores, além de áreas como arquitetura, métodos e processos, logística, transporte e movimentação de máquinas/equipamentos, medicina, entre outras.

Como nosso objetivo é falar de negócios, vamos focar nas aplicações que justificam o investimento nesta tecnologia, em especial o estudo de layout para a indústria de manufatura.

Embora existam diversas ferramentas para realizar um estudo de layout fabril, por exemplo, o mais prático é a impressão em 3D dos modelos em escala para uma planta e seus equipamentos, porque desta forma pode-se movimentar as “peças” quase como se fosse um jogo, uma brincadeira de criança com blocos de montar.

Para projetos em desenvolvimento a partir de modelos em CAD 3D, os próprios arquivos do software são utilizados para a geração do modelo. Para construções civis e instalações de grande porte, como silos e tubulações típicas de petroquímicas e similares, pode-se utilizar a digitalização 3D a partir de scanners de área.

Para uma análise de layout, detalhes de equipamentos e instalações, como os botões ou contornos de uma máquina, não são relevantes. Mas uma rede de distribuição de ar comprimido ou de água pode impactar o estudo se os custos de alteração de layout não abrangerem a alteração de infraestrutura predial, caso haja uma interferência no momento da execução prática do projeto.

Com o emprego de scanners de área, os arquivos resultantes podem ser utilizados para a análise de layout, simulações complexas no computador (maquete eletrônica), impressão 3D dos modelos em escala e digitalização da planta, com a obtenção de um arquivo de montagem, onde se veem detalhes construtivos e fieis aos equipamentos e à instalação atual.

Os dados são dinâmicos e abrem a possibilidade de prever o impacto de qualquer alteração física. Assim, não apenas fornecedores de equipamentos e prestadores de serviços se beneficiam da tecnologia, mas também empresas de qualquer porte, pois as informações obtidas auxiliam os departamentos de manutenção, produção, métodos e processos, gestão da qualidade, compras e a própria gestão.

Unindo este método a uma equipe técnica competente é possível antecipar possíveis falhas ou atrasos na implantação de novos componentes na linha, no lançamento de produtos/serviços e na produção e manutenção (em seus diversos níveis).

Mas vale observar: é inútil investir em equipamento de impressão 3D se a demanda de uso for baixa – os custos envolvidos são os principais limitadores para empresas e profissionais que poderiam se beneficiar desta tecnologia.

No entanto, a impressão 3D é extremamente útil se, além de ter uma demanda considerável, você precisa demonstrar de forma palpável ideias e conceitos, pois muitas pessoas têm dificuldade de formar mentalmente – imaginar – algo verbalizado ou descrito “só” em palavras. A tecnologia também é muito efetiva para estabelecer dinamismo com uma equipe responsável por qualquer alteração e/ou criação de qualquer segmento da planta.

A Prosys conta com uma ampla equipe tecnicamente capacitada a propor – e explicar – soluções diversas para suas necessidades, desde as situações mais simples até as mais complexas. Nosso desafio é encontrar a solução ideal para sua demanda.

 

Compartilhe: